domingo, 21 de abril de 2013

O brilho de uma paixão - ou a vida de John Keats


O brilho de uma paixão (2009) nos traz os últimos anos de vida do poeta romântico inglês John Keats, apesar de que a vida dele mesmo foi muito curta - morreu com apenas 26 anos. Todo o sentimento platônico romântico, toda a filosofia melancólica romântica, todos os matizes, toda a natureza exuberante e depressiva - facetas permanentes da estética romântica - são capturados aqui pela sensível direção de Jane Campion.


Seus últimos 2 anos de vida, os mais produtivos de John Keats, também revelam o ápice do envolvimento amoroso com Fanny Brawne, com quem chega a noivar em 1819 mas cujo casamento nunca chegaria a se concretizar, pois Keats além de viver às custas de amigos ainda estava doente - tinha tuberculose.


Muito lembrado pelo famoso poema romântico "La belle dame sans merci" (apenas o título está em francês, que significa "A bela dama sem piedade"), Keats consegue o reconhecimento nas rodas literárias e consequentemente na Literatura Inglesa quando publica o seu Lamia, Isabella, The eve of St.Agnes and other poems em 1821, meses antes de morrer.


Para Harold Bloom, um dos maiores críticos da atualidade, Keats viveu o Alto Romantismo; sendo influenciado pelas leituras de William Shakespeare, é considerado o "gênio da aceitação trágica", extremamente melancólico. Por intuir que não viveria muito, seus poemas, em sua maioria escritos no estilo clássico de ode, apresentam um eu lírico atormentado, inquieto, negativo e mórbido; porém a genialidade de Keats reside no uso perfeito da língua inglesa, que qualquer tentativa de tradução não consegue abarcar a emoção do poeta em suas longas odes. Temos aqui um trecho de sua Ode à Melancolia (Ode on Melancholy), um de meus poemas preferidos:

Ela tem Beleza - Beleza que há de morrer;
e enlevo, cuja mão sempre acena adeus,
estando o Prazer dolorido bem por perto,
buscando veneno enquanto a abelha suga:
Sim, é mesmo no templo da Alegria
que a Melancolia faz seu santuário,
sem ser vista, exceto por aquele
cuja língua explode a uva no céu da boca,
e cuja alma há de provar da força da dor,
e entre os seus troféus sombrios ser pendurada. [...]

É a clássica referência romântica ao estado permanente de tristeza, ou melancolia... Mesmo na alegria ela se instala imperceptível, pois a dor de viver é sempre maior - essa é a filosofia mais pura seguida e vivida por vários autores românticos, inclusive pelo nosso representante nacional, o poeta Álvares de Azevedo: na ânsia de viver reside a mesma ânsia de partir...







quinta-feira, 18 de abril de 2013

Investindo no azul royal

Sou fã de todos os tons de azul, mas o que já anda há um bom tempo nas "araras" das lojas são peças em azul royal, que eu acho alegre e pode tirar da rotina muitos looks...É um tom democrático: vai bem com morenas, negras, ruivas e brancas, sem contar que ele possui quase o mesmo efeito chamativo do vermelho...Separei algumas inspirações para vocês do site lookbook.nu:



Tideshe Dress, Chanel Glasses, Sheinside Coat, Dsstyles Iphone Case
estilo romântico...

Www.Tailor4less.Com Pants, Marika Blazer, Marika Shirt
estilo mais clássico...

Shirt, Skirt
no detalhe da saia florida...

H&M Skirt, Hand Made Coat, River Island T Shirt, Asos Boots
no boné e no sapato...estilo mais teen.


homem também pode!


quarta-feira, 3 de abril de 2013

Doris Day & 60's fashion

Outro dia consegui assistir no Netflix um filme clássico, Confidências à meia noite (1958), com dois dos meus atores favoritos: Doris Day e Rock Hudson:


A história é bobinha mas bem gostosinha rsss: Day interpreta a decoradora Jan Morrow, que tem que dividir sua linha telefônica com o compositor e mega-conquistador-raparigueiro Brad Allen; as brigas entre os dois são constantes porque de tanto as mulheres ligarem pro Allen, a pobre Jan não consegue fazer nenhuma ligação! Claro que acontecem situações hilárias que vão levar os dois a se conhecerem depois e se apaixonarem...


Mas o que me chamou a atenção foi o figurino usado por Doris, selecionado por Bill Thomas...que já vem em ritmo de anos 60, com corte bonito, tudo combinado e bem colorido:

www.littledooronthesound.com



O look branco total está sendo muito usado novamente, não é dos meu preferidos mas é inspiração dos anos 60...Quanto ao filme, vale a pena assistir, ao menos pra ver a produção de arte que é muito bonita :)

segunda-feira, 1 de abril de 2013

1º de abril

Meus amores, vamos começar a semana com um salto bem bacana, poderoso e engraçado do Rupert Sanderson , porque o mês de abril não tem feriado "útil" não rsss, então vai ser só trabalho, trabalho....affff!

 -